Pular para o conteúdo
Início » Notícias » 4 estilos de cerveja para quem está começando

4 estilos de cerveja para quem está começando

Você está começando a estudar e conhecer novos estilos de cerveja? Vem dar uma olhada nessa seleção para se aventurar.

O mundo da cerveja artesanal tem uma infinidade de estilos, alguns podem assustar ou até mesmo afastar quem está iniciando a exploração de novos aromas e sabores.

Aqui, iremos passar por quatro estilos diferentes que podem ser uma boa escolha no momento de experimentar cervejas que ainda não conhece.

Witbier

Um estilo muito leve, refrescante de origem belga e que tem tudo a ver com o clima tropical brasileiro. A Witbier é uma cerveja da família Ale que tem base de trigo, com 4,5 a 5,5% de álcool.

Tem baixo amargor que vai de 8 a 20 IBU (International Biterness Units/Unidades de amargor). A base de maltes irá lembrar algumas notas de trigo, pão, com suaves notas de mel, seu aroma terá um perfil frutado e cítrico de laranja e ainda algumas notas de especiarias que dão muita leveza e personalidade à essa cerveja.

Cerveja Hoegaarden – Estilo Witbier

Um corpo suave, aveludado e de alta cremosidade, que por ter alta carbonatação (gás) não é pesada, pelo contrário, tem alta drinkability (como falamos para explicar que é fácil de beber).

A popularidade do estilo aqui no Brasil está crescendo e você pode encontrar facilmente nos mercados. Marcas como Praya, Hoegaarden e Blue Moon são referências e uma ótima forma de começar a beber cervejas especiais.

Weissbier

Weissbier ou Weizenbier é um estilo de origem alemã que é muito popular. De cor clara e aparência turva, ela pode ser quase um almoço, tendo apenas entre 4,3 a 5,6% de álcool. É uma cerveja de trigo de baixo amargor, com notas frutadas que lembram banana e condimentadas que lembram cravo.

Esse perfil de aroma e sabor pode variar de acordo com a cervejaria, algumas você encontrará mais aroma de banana e outras mais cravo. Fica aqui a informação de que nenhum desses ingredientes são adicionados à cerveja, é o processo de fermentação junto aos outros ingredientes que proporcionam esses aromas e sabores.

Sua turbidez é característica e é uma cerveja que deve ser servida num copo só, melhor ainda se for um copo específico para cerveja trigo, um copo alto e de base mais estreita, com a boca larga. Esse copo favorece a formação de espuma desse estilo que é abundante e muito cremosa. Lembre-se que a espuma faz parte da experiência.

Já reparou que o copo Weiss tem 500ml que é o mesmo volume da garrafa? Isso porque o ritual de um bom serviço de cerveja Weiss é aquele em que se serve 2/3 do conteúdo da garrafa, com o copo a 45º. Depois disso, deve-se deixar o copo reto e balançar a garrafa suavemente para misturar o conteúdo do fundo antes de servir o restante da cerveja.

Cerveja Erdinger – estilo Weissbier

Um bom serviço de Weissbier não deve derramar cerveja e a espuma deve formar uma espécie de topo de cogumelo na borda do copo.

Alguns exemplares clássicos e fáceis de encontrar são: Erdinger (foto acima), Paulaner, Weigenstephaner, Franziskaner e HofBräu.

Session IPA

A cerveja Session IPA pode ser considerada mais como uma categoria do que como estilo, já que a palavra “Session” irá designar que a cerveja tem baixo teor alcoólico (menor que 4% de álcool). Isso quer dizer que o perfil sensorial vai depender do estilo base da IPA.

No mercado em geral aqui no Brasil, iremos encontrar muitas Session IPA’s que irão ter uma inspiração na American IPA, uma India Pale Ale clássica com adição de lúpulos americanos.

Importante lembrar que a Session IPA tem baixo teor alcoólico, mas que nem sempre quer dizer baixo amargor, mesmo que isso seja muito praticado para esta categoria. Desta forma, o amargor varia de acordo com a cervejaria, mas se tomarmos a American IPA como base, o amargor vai de 40 a 70 IBU.

Cerveja Goose Island Midway – Session IPA

A cerveja IPA tem um perfil lupulado e amargo, com notas cítricas, florais e frutadas que lembram frutas tropicais, frutas de caroço, berries e até melão. Tudo isso depende da variedade de lúpulo utilizada, mas é uma ótima forma de experimentar e se aventurar pelas infinidades de aroma e sabor de lúpulo.

Alguns exemplares que irá encontrar facilmente são: Goose Island Midway Session IPA, Wäls Session Citra, Lohn Session IPA, Masterpiece Session IPA.

Catharina Sour

Uma sugestão ousada para quem está começando, mas que tem muita brasilidade e possibilidades. O estilo Catharina Sour é o primeiro estilo brasileiro reconhecido internacionalmente, é uma cerveja ácida, de baixo amargor e que tem adição de fruta, tendo um perfil de fruta fresca.

As frutas brasileiras brilham nesse estilo e a variedade é por conta da região onde está sendo produzida, já que cada lugar pode imprimir sua identidade com as frutas locais. Essa cerveja é uma verdadeira festa de Brasil e acho que vale a aventura de conhecer algo nosso.

Linha Lohn Catharina Sour

A ideia do estilo é de ser refrescante e fácil de beber, tem baixo teor alcoólico e a fruta é o destaque junto a acidez. Por ser um estilo recente, ainda não é das mais fáceis de se encontrar num mercado por exemplo, mas fica a sugestão para buscar em lojas e bares especializados em cerveja. Encontre a sua fruta! Não desista da primeira vez, é um estilo muito versátil.

Alguns rótulos que valem a experiência: toda a linha de Catharina Sour da Cervejaria Lohn, Bierland Catharina Sour Cajú, Denker Catharina Sour Morango, a linha Sour da Three Monkeys que tem adição de algumas frutas como pitaya, morango, limão, framboesa e goiaba.

Agora é só preparar o copo e se aventurar!

Deixe um comentário