Pular para o conteúdo
Início » Notícias » A cerveja da Era Viking

A cerveja da Era Viking

O início

No primeiro milênio, a fabricação de cerveja na Europa era um artesanato doméstico, em grande parte algum tipo de cerveja de fazenda, inclusive nas colônias vikings. A partir do século IX, uma produção mais profissional e em maior escala foi se desenvolvendo nos mosteiros europeus. No século 12, a comercialização em larga escala começou a se firmar nas cidades europeias, e a ascensão da bebida lupulada iniciou na Alemanha. Ferver o mosto com lúpulo melhorou a cerveja e, no século 13, os cervejeiros das cidades do norte da Alemanha já exportavam suas bebidas.

Porém, voltando às tribos germânicas, os celtas e os vikings. Quão próximas suas cervejas eram das cervejas de fazenda nórdicas-bálticas fabricadas hoje? A evidência direta diz principalmente que os alemães, celtas e vikings preferiam cevada maltada e cerveja fabricada em grandes quantidades para as festas.

Vamos fazer um exercício bem rápido de matemática e história: qual a quantidade de cerveja que um navio cheio de vikings precisa para um banquete? Os navios de guerra vikings tinham uma tripulação de cerca de 20 a 50 homens, ou seja, precisavam de 100 a 200 litros de cerveja. Hoje em dia é um tamanho de lote tradicional de Ale de Fazenda nos países nórdicos e bálticos.

Fabricar essa quantidade de cerveja com a tecnologia do primeiro milênio não é óbvio. Caldeirões de metal eram conhecidos, mas naquela época as grandes chaleiras eram muito raras e caras. Indiscutivelmente, os alemães, celtas e vikings fabricavam cerveja usando banheiras de madeira e vasos semelhantes a calha, como alguns cervejeiros de fazenda hoje. Provavelmente eles também não estavam fervendo seu mosto, e por que o fariam? Provavelmente eles não conheciam melhor aquela cerveja das lojas de mosto fervido, e toda a cerveja foi bebida no banquete de qualquer maneira.

Artefatos de produção de cerveja da Era Viking

A erva cervejeira

O zimbro parece ser uma erva cervejeira muito mais antiga do que o lúpulo. Patrick McGovern e seus colaboradores encontraram zimbro dos resíduos de antigos grogues nórdicos de Juellinge (por volta de 200 aC) e Kostræde (1100-500 aC) na Dinamarca. Provavelmente também os vikings temperavam suas cervejas com zimbro, junto com outras ervas encontradas nesses grogues, como murta e milefólio. Existem algumas evidências indiretas de cerveja lupulada na Europa do século IX, mas o uso generalizado de lúpulo na fabricação de cerveja antes do século XII parece improvável.

A Era Viking

Há poucas referências sobre maltes da Era Viking, porém existe evidências de que os Vikings secavam seus maltes em fornos canalizando a fumaça do fogão à lenha através do leito de malte.

Os vikings tinham leveduras caseiras e eram capazes de evitar a acidez controlando a fermentação? Essas são perguntas difíceis, se não impossíveis, de responder. Embora os segredos da levedura e da fermentação tenham sido revelados no século XIX, os cervejeiros começaram a controlar a fermentação reutilizando a levedura séculos antes das descobertas laboratoriais.

Com base em diversas fontes, ficou bem claro que no século 16 a reutilização de levedura era uma prática comum, muitos cervejeiros estavam fazendo cerveja doce ou amarga que azedava apenas por acidente.

De modo geral, nas festas os vikings bebiam cervejas de fazenda um pouco semelhantes às Ales nórdicas e bálticas que conhecemos hoje. Sem dúvida, os vikings também bebiam cerveja com baixo teor de álcool em sua vida cotidiana, mas sua cerveja de festa era mais forte e inebriante. Suas práticas de maltagem e fabricação de mosto, bem como os recipientes de fabricação de cerveja, eram aparentemente semelhantes. Provavelmente os vikings usavam zimbro e algumas outras ervas cervejeiras em vez de lúpulo. Talvez a fermentação fosse mais primitiva naquela época.

As cervejas de fazenda nórdicas e bálticas de hoje não são fabricadas exatamente como na era viking, mas oferecem uma visão fascinante do início da era medieval ou da era viking e, portanto, da história da cerveja. Essas cervejas são os melhores exemplos sobreviventes de como era a cerveja europeia antes que os princípios da fabricação de cerveja moderna fossem estabelecidos na Idade Média.

Deixe um comentário