Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Cerveja na quaresma?

Cerveja na quaresma?

Hoje, quarta-feira de Cinzas inicia o período quaresmal, que para os cristãos é algo a ser levado a sério e é nesse período que algumas pessoas se resguardam, fazem reflexões, jejuam e até mesmo se abdicam de alguns hábitos comuns que aos nossos olhos parecem bobos, mas quando “tirados” de nossas rotinas a abstinência chega com força. Mas, o que seria essas “manias” corriqueiras? É fácil, pense naquele docinho que você come todos os dias, a cerveja, o programa de tv favorito, a rede social que você não vive sem e assim por diante, viu como são coisas pequenas?

Historicamente, especialmente na Idade Média, ter que se abdicar de bebidas alcoólicas, no caso as cervejas, não era uma boa opção. Até porque, nessa época não era tão incomum fazer jejum de sólidos durante toda a quaresma, especialmente nos mosteiros. Mas, o que de fato salvava a vida dos padres durante esse período era o líquido mágico de sempre, a cerveja, que eles mesmos produziam.

Ficar quarenta dias “longe” daquilo que tanto adoramos é um tanto difícil, porém não é impossível hein! Graças a esse período quaresmal que hoje temos cervejas grandiosas, afinal de contas, os monges e religiosos dos tempos antigos acabaram criando estilos como Doppelbock, Dubbel e Strong Golden Ale que são cervejas fortes, proteicas e com teor alcoólico mais elevado que auxiliavam a suportar os períodos de abstinência de alimentos.

Monges que tomam cervejas?

A ligação que existia entre a Igreja e a cerveja na Idade Médica era tão forte que a cerveja era qualificada como um alimento, que sustentava tanto quanto o pão. O Papa Adriano IV elaborou uma bula papal, onde autorizava o consumo de cervejas durante a quaresma e até mesmo na sexta-feira Santa, pois é o dia em que os monges reservavam suas mais nobres e fortes cervejas.

Desde o século XVI, os monges alemães da Ordem dos Mínimos de São Francisco de Paula são os considerados ícones, por terem desenvolvidos um estilo próprio para o jejum quaresmal e que hoje é consumido e apreciado no mundo todo até os dias atuais: o doppelbock. Foi essa cerveja que deu origem à consagrada Paulaner Salvator.

Então, se você tinha alguma dúvida se a cerveja poderia ou não fazer parte do seu pequeno ou grande sacrifício quaresmal, saiba que sim, ela está oficialmente liberada, mas claro, sem exageros, ok?!

Cervejas Potentes

  • Leuven Dubbel – a cervejaria Leuven fica em Piracicaba/SP e sua maior inspiração são as cervejas de estilo belga.
  • Falke Monasterium essa Tripel possui 9,0% de ABV, criada pelo Marco Falcone, mestre-cervejeiro e proprietário da Falke Bier, que fica Belo Horizonte/MG.
  • Roter Sour – apesar de se apresentar como uma Sour, a acidez é suave e elegante que chega lembrar uma Red Flanders guardada as devidas proporções, acervejaria Roter está localizada em Barra do Piraí/RJ.
  • Paulaner Salvator – é uma Doppelbock conhecida como “pão líquido”. Ela é forte com pronunciado aroma de malte e de cor avermelhada, esta cerveja é “duas vezes” bock. Uma produção da cervejaria Paulaner em Munique, na Alemanha.
  • Samichlaus Classic: uma cerveja austríaca altamente alcoólica (14%). Ela é envelhecida por 10 meses antes do engarrafamento e isso faz com que os aromas sejam mais ricos e complexos.
  • Ayinger Celebrator – é uma cerveja alemã de coloração marrom, com aromas de uva passa, ameixa seca, malte torrado e um toque defumado. Ela é considerada um ícone do estilo, Doppelbocks.

Deixe um comentário