Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Quem é a Seringal Bier, cervejaria que colocou o Acre no mapa brasileiro da cerveja artesanal

Quem é a Seringal Bier, cervejaria que colocou o Acre no mapa brasileiro da cerveja artesanal

Dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) na última semana apontam que todos os estados brasileiros agora contam com uma cervejaria. O último a entrar na lista foi o Acre que, em dezembro de 2020, contava com uma das 1.383 fábricas em operação. A Seringal Bier, de Rio Branco (AC), simboliza a disseminação da cultura cervejeira em todas as regiões do país.

A mestre cervejeira dessa marca tão representativa é Elisana Grecchi. Ela começou a fazer cerveja em casa, para os amigos e a família em 2017. “Comecei como uma brincadeira e o universo da cerveja artesanal me arrebatou de tal forma, que passei a estudar de forma autodidata e depois a buscar conhecimento em instituições de ensino cervejeiro”, comenta. Entre os cursos realizados por ela, esteve o Gestão de Microcervejarias da Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM), em janeiro de 2020. “Neste momento, já estava realizando o sonho de ter a primeira cervejaria do Acre e queria me preparar para isso”, afirma.

Elisana destaca ainda a participação fundamental do sócio e marido Guilherme no processo de criação da Seringal Bier. “Ele tem o empreendedorismo na veia e foi um grande incentivador antes da fundação e administra o negócio junto comigo hoje”, comenta ela, que tem orgulho que a primeira cervejaria do Acre seja uma empresa familiar.

A Seringal Bier produz seis estilos. Quatro deles são fixos: Cream Ale, Pilsen, Red Ale e American IPA. Dois são sazonais – atualmente German Pils e Russian Imperial Stout. Além das cervejas, comercializadas em supermercados e restaurantes da região, a cervejaria conta com um espaço de degustação na fábrica.

“Sou paranaense e resido no Acre desde 2006. Tenho um carinho imenso por esse estado que acolheu a mim e a minha família. Por isso decidimos não só abrir a cervejaria aqui, mas valorizar a história e os costumes acreanos em tudo o que pudermos: do nome à decoração do nosso espaço, passando pelo nosso posicionamento de marca”, comenta.

Identificação local

O diretor da ESCM, Carlo Bressiani, destaca a importância da presença local para a disseminação da cultura cervejeira no país. “A presença de cervejarias que se identifiquem com o consumidor e o atraiam para uma nova percepção para as possibilidades sensoriais da cerveja é fundamental. A Seringal Bier é um excelente exemplo disso”, destaca.

A tendência pelo consumo local é global de acordo com institutos de pesquisa como Euromonitor. Isso já está chegando à cerveja. “A pandemia afetou esse comportamento, mas acredito que não vá frear o interesse do consumidor por valorizar o que é produzido perto da sua casa. Certamente, as cervejarias devem incluir essa percepção na sua estratégia”, acrescenta.

Sobre a ESCM

Com mais de 11,5 mil alunos formados em sete anos de atuação, a Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM) é a primeira e única instituição de ensino superior especializada na cerveja, da América Latina. Além do Brasil, atua também em Portugal, no Paraguai, na Argentina e no Chile. É parceira da alemã Doemens Academy, uma das mais respeitadas entidades do mundo.

São cerca de 90 cursos diferentes, em mais de 300 turmas já formadas. Na sede, em Blumenau (SC), além das salas de aula estão disponíveis 12 laboratórios voltados para o ensino de cerveja. Parcerias com cervejarias da região garantem visitas técnicas e relacionamento com o mercado durante os cursos.

Deixe um comentário