Pular para o conteúdo
Início » Notícias » Quem foi Hannah Jumper na história da cerveja?

Quem foi Hannah Jumper na história da cerveja?

Provavelmente você já ouviu alguma história sobre a Lei Seca nos Estados Unidos, mas o que talvez você quase não ouviu é que Hannah Jumper foi uma das “influenciadoras” desse movimento. O século XX para os cervejeiros artesanais americanos foi um tanto turbulento, porque em 16 de janeiro de 1919 foi ratificada a 18ª Emenda à Constituição dos Estados Unidos, conhecida como Lei Seca (um período longo e difícil), a qual proibia a fabricação, venda, importação, exportação e transporte de bebidas alcoólicas em todo o país.

A ideia de criar a Lei Seca, veio das entidades como: Liga Anti-Saloon, União das Mulheres Cristãs pela Temperança e o Partido da Proibição, que eram associações financiadas por igrejas protestantes evangélicas e ambas já vinham analisando a possibilidade de implantar essa lei no país e acabou que o “desejo” se tornou realidade, mas, essa história começa anos antes, em 1812 quando Hannah deixou a fazenda de sua família em Joppa e foi para Rockport.

Hannah Jumper

Hannah Jumper

Uma costureira que possuía um admirável talento com agulha e linha, além da habilidade de cultivar ervas e fazer preparações medicinais com elas. Isso fez com que Jumper pudesse construir uma vida agradável na antiga vila de pescadores no estado de Massachusetts. Assim estabelecida, Hannah começou a formar amizades duradouras com muitas das mulheres que mais tarde se juntariam a ela na rebelião contra o “rum demoníaco”.

8 de julho de 1856 é uma data muito importante para a história de Rockport, pois o grupo de Jumper que era conhecido como: Hannah and the Hatchet Gang (gangue da machadinha) reuniu com mais de 200 mulheres (esposas, mães, filhas e diversos apoiadores) na Dock Square para participar de um evento que teria repercussão até os dias de hoje. O principal motivo desse evento era destruir com seus machadinhos todos os barris ou vasilhames de bebida alcoólica que encontrassem pela frente.

A pesca era o esteio de Rockport, mas o clima só permitia essa atividade durante nove meses do ano. E isso afetava drasticamente o convívio entra as famílias, uma vez que os homens não procuravam outro emprego durante suas “férias” forçadas de três meses e assim perdiam seu tempo e consumiam enormes quantidades de bebida. Devido a isso o grupo de Hannah possuía justas reivindicações, mas o problema foi a atitude radical e as consequências.

O grupo de Jumper foi parar nos tribunais e claro, foi vitorioso. O juiz da época, decretou a proibição de comercialização de bebidas na cidade, proibição essa que durou 149 anos. A população de Rockport através de um referendo conseguiu derrubar a lei e estabelecer a comercialização de bebidas na cidade, mas apenas em 2005 foi autorizada a venda em restaurantes e em 2019 em lojas. Porém, ainda existem 8 cidades no estado de Massachusetts que proíbem a comercialização de bebidas alcoólicas.

Por fim, em 2020 o casal Jordana e Ray Pickup fundaram a primeira cervejaria na cidade, a Rockport Brewing Company. A primeira cerveja foi a Hatchet (machadinha em inglês), uma New England Session IPA com 4,6% de ABV. A cerveja possuí esse nome porque a machadinha significou o fim e um novo início na comercialização das bebidas alcoólicas em Rockport.

Rockport Brewing Company

1 comentário em “Quem foi Hannah Jumper na história da cerveja?”

  1. Pingback: Uma análise sobre a Lei Seca Americana e sua importância – Cerveja em Foco

Deixe um comentário